Querid@s compas, amig@s e parceir@s do Mercado Sul – Taguatinga, Somos Beco pra uns, Beco da Cultura pra outr@s. Somos a história viva do antigo Mercado Sul de Taguatinga. No dia 07 de fevereiro de 2015, nós do movimento cultural, trabalhador@s e moradores do Beco iniciamos nosso processo de retomada da cidade. A cidade que construímos, no beco onde existimos e criamos noss@s filh@s, nossas lutas, nossas artes. Reivindicamos as lojas abandonadas, ruínas ociosas que vêm ao longo de mais de 10 anos afetando a segurança e a saúde física, social, ambiental e cultural do Mercado Sul. Por acreditar que o direito de viver não deve estar submetido aos interesses da especulação imobiliária, que prefere os espaços fechados, decidimos ocupá-los e reabri-los com o proposito de recuperar mais um cantinho da cidade para a vida e convívio saudável e coletivo. Em nossa trajetória, tecida por muitas mãos e em processo de construção contínua, aprendemos que a cidade deve estar de acordo com a força coletiva que a construiu e segue construindo, que deve servir ao bem comum, ser inclusiva e participativa. A isso concordamos em chamar de Direito à Cidade e assim o reivindicamos como tantos outros grupos e tantas outras comunidades organizadas mundo afora. O Estatuto da Cidade entende que a área ou construção urbana que não cumpre sua função social deve ser reordenada ao coletivo, ao bem comum da cidade. Afinal, a quem deve servir os bairros e a própria cidade? Assim, não podemos deixar de concluir que a situação que hoje vivenciamos viola nossos direitos e que devemos nos manter firmes em sua defesa.

Nosso intuito é preservar esse lugar histórico de Taguatinga (e do DF) tanto em sua dimensão arquitetônica, quanto na escala humana, com as vidas vividas aqui e a cultura que aflora há décadas desse lugar. Aqui se constroem violas, vídeos, mamulengos, artesanatos e instrumentos com papelão e saco de cimento. Aqui, o beco vira palco, roda de capoeira, escola, eco-feira, vira comunidade, santuário, espaço de produção e aprendizagem. Daqui surgiram inúmeras iniciativas culturais e coletivas…. Com esse movimento, pretendemos dignificar a morada e o trabalho d@s que aqui residem, fortalecer as ações que já são realizadas, expandi-las e enraiza-las, assim como servir de meio e apoio para novas ações e iniciativas criando um centro de difusão e criação cultural de Taguatinga. Convidamos a tod@s que querem partilhar conosco dessa luta para apoiarem esse movimento presencial e virtualmente,

Venha fazer história! todo dia é dia de festa, trabalho, e pão!

Notícias

Brincadeiras sonoras na Véspera do Dia das Mães, como parte da preparação do início das operações da Radio Mercado Sul, Rádio Rua, Rádio Sua.

Reunião entre GDF e Movimento (27/02)

E nesta sexta (27 de fevereiro) mais uma rodada de diálogo e negociação com o GDF sobre as demandas do Movimento Mercado Sul Vive. Movimento Cultural organizado em defesa do direito à...

Atividade Cultural do GT Cultura Viva no Mercado Sul – Taguatinga

Matéria originalmente publicada no Facebook da SCDC: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.679768265479919.1073741868.217242761732474&type=1 Na noite de ontem, 25 de fevereiro, os participantes do GT Cultura Viva e servidores da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC) do Ministério da Cultura visitaram o movimento Mercado Sul Vive, ocupação cultural em Taguatinga (DF). Depois de um percurso pelos empreendimentos solidários e iniciativas socioculturais da região, o grupo acompanhou a programação do sarau e uma série de apresentações culturais com artistas locais. Uma roda de conversas também foi realizada e o movimento que ocupa a região apresentou seus princípios, objetivos e reivindicações. Durante o percurso pelas iniciativas, os participantes do GT puderam conhecer ateliês de arte, estúdios de serigrafia, marcenaria, luthieria, design, audiovisual, empreendimentos solidários, Pontos de Cultura e outros projetos desenvolvidos e embrionados no Beco da Cultura. Localizado em uma das regiões administrativas do Distrito Federal, o local é historicamente uma referência de produção cultural que envolve e fomenta as culturas populares, bem como linguagens urbanas e a cultura digital. Vince, um dos representantes do movimento Mercado Sul Vive, contou um pouco das ações desenvolvidas no local e os motivos que levaram o grupo a realizar a ocupação. “Estávamos vendo a especulação imobiliária mandar embora muita gente e a violência tomando conta do espaço. Não tem outro jeito, temos que tomar atitude, mesmo que isso vá contra a lei”, afirmou. “A resistência que a gente propõe é replicar as experiências dessa pessoas que não querem estar a mercê do mercado”, destacou Juraci, que está na ocupação desde o primeiro dia. As reivindicações da ocupação giram em torno do direito à cidade e à moradia, a...

Mercado Sul recebe visita de secretários da Secult-DF

O Movimento Mercado Sul Vive recebeu nesta segunda (23) a secretária adjunta da cultura do Distrito Federal Nanan Catalão e dois subsecretários da nova gestão, Jaqueline Fernandes, da Subsecretaria de Cidadania e Diversidade Cultural, e Thiago Leandro, da pasta de Fomento e Incentivo. A visita faz parte da agenda positiva, mapeamento e reconhecimento da memória e dos fazeres culturais do Mercado Sul por parte da Secult, que desde o início das negociações entre o movimento de ocupação e o Governo do Distrito Federal tem se destacado no papel de mediação e diálogo. Importante frisar dentro do contexto que envolve as negociações entre o movimento e o GDF que a Secult, principalmente na figura de Nanan Catalão e do próprio secretário Guilherme Reis, e a Secretaria de Relações Institucionais e Sociais (Seris), têm atuado como importantes articuladores internos no governo e se mantêm em contato com o Mercado Sul Vive buscando compreender as demandas do movimento e encontrar soluções políticas e institucionais. No dia 12 de fevereiro houve uma reunião com diversas secretarias do GDF, Ministério da Cultura, IPHAN e Movimento Mercado Sul Vive quando foram debatidas as reivindicações do coletivo cultural e foram estabelecidos alguns grupos de trabalho e encaminhamentos que estão em processo de realização no momento. Dessa reunião saiu a demanda urgente de permanência com segurança no local enquanto seguem as negociações, compromisso assumido pelos representantes do governo. Nesta terça (24), os interlocutores do Governo do Distrito Federal se comprometeram a realizar uma reunião interna com o primeiro escalão da gestão para buscar uma saída concreta para a ocupação cultural em Taguatinga Sul. Os encaminhamentos dessa reunião...

Oficina de Contação e Fazeção de Histórias

Oficina de Contação e fazeção de Histórias com Mariana Tum onde as crianças produziram pequenos livros, inspirados na estética de zine, com textos e desenhos criados por el@s mesm@s.    ...

Mercado Sul Vive – Resistência e Arte em Taguatinga

Matéria do boletim da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC) do Ministério da Cultura. Mercado Sul Vive – Resistência e Arte em Taguatinga No início deste mês, diversos movimentos culturais, trabalhadores e moradores do Beco da Cultura (vila cultural em Taguatinga/ DF) deram início ao processo da ocupação cultural Mercado Sul Vive. A ação contou com parceria do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) e do Movimento Passe Livre (MPL-DF). Em torno do Mercado Sul, nos últimos 10 anos, foram sendo criados e desenvolvidos importantes processos culturais e artísticos que hoje são referência para o DF e o Brasil. Pontos de Cultura, Coletivos de Comunicação livre e cultura digital, redes, grupos de teatro, artesãos, artistas e agentes culturais foram recriando este espaço como ambiente cultural em uma das principais cidades-satélites de Brasília.   Movimentos socioculturais e Pontos de Cultura ocupam o Mercado Sul em Taguatinga (DF). Foto: Cobertura Colaborativa SCDC As reivindicações da ocupação giram em torno do direito à cidade e à moradia, a ocupação cultural de espaços públicos e o fomento a um espaço de criação artística e de ofícios criativos que garanta a sustentabilidade das 30 famílias que ali vivem, bem como a preservação arquitetônica e do modo de vida de pessoas que ali vivem e trabalham. Uma liminar de reintegração de posse já foi derrubada, mas ainda há uma serie de questões legais que envolvem a negociação com os proprietários dos imóveis e que estão sendo objetos de discussão de um grupo de trabalho que envolve o Governo do Distrito Federal, o IPHAN, o MinC, entre outros órgãos. Reuniões e atividades culturais estão acontecendo...

Carta de apoio do coletivo Veracidade (SP)

Salve, salve a todas as pessoas, grupos, coletivos e instituições que se integram e apoiam a nossa causa. A pauta de luta do Movimento Mercado Sul Vive se estende a tantas outras iniciativas e realidades de ocupação e luta por espaços saudáveis em nossas cidades. No dia 10 de fevereiro, recebemos mais um aliado, o coletivo Veracidade, de São Carlos (SP), que publicou a Carta de Apoio à Ocupação Cultural Mercado Sul Vive! Clique aqui e leia a íntegra a Carta. Para conhecer mais sobre a Veracidade, acesse: www.veracidade.eco.br. “Nesse domingo, dia 08/02, a cidade de Taguatinga (DF) amanheceu mais bela com a ação promovida pelo Coletivo “Mercado Sul Vive” em parceria com o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) e o MPL-DF (Movimento Passe Livre), em um processo que chamaram de ‘retomada da cidade’: E cabe lembrar que a realidade de Taguatinga é a realidade de praticamente todo o território brasileiro e mundial: descaso estatal e crescente especulação imobiliária dificultando a experiência humana na terra. Em nossa concepção, enquanto o direito à moradia for um privilégio, ocupar é um dever da população, e deve ser apoiado por todos os segmentos da sociedade que colocam o bem-viver acima dos lucros, e que respeitam o direito à uma vida digna das pessoas, independentemente de suas condições socioeconômicas. Assim, como o Coletivo Mercado Sul Vive, queremos que São Carlos e todas as cidades do mundo ‘sejam terra fértil para viver e fazer arte, gerar e compartilhar sonhos e projetos’ queremos ‘viver uma dinâmica de vida a mercê do mercado financeiro e...