Oficina – Rotas Mocambolas no Latinidades

Oficina – Rotas Mocambolas no Latinidades

Festival Latinidades 2016 As 14h30 no Museu Nacional

Por: Casa de Cultura Tainã, Ocupação Cultural Mercado Sul Vive! e Rede Mocambos – com a presença de Mestre TC

“A primeira internet, redes de comunicação, são os tambores da África”

O sistema Baobáxia foi criado para que comunidades quilombolas, indígenas, ribeirinhas, assentamentos rurais e movimentos urbanos possam publicar e compartilhar seus saberes, fazeres e valores.

Primeiro, faremos uma batucada e um cortejo pelo Museu Nacional. Depois, falamos sobre nossas Pajelanças Mocambólicas, com uma apresentação relâmpago da Rede Mocambos e das tecnologias livres para quilombos, aldeias e quebradas. Em seguida, às 15h30, propiciaremos 2 roteiros, 2 provocações a respeito da forma de viver e construir um mundo mais do nosso jeito – como diria Zumbi dos Palmares.

1) Embarque para a Ocupação Cultural Mercado Sul Vive! (QSB 12/13 – Taguatinga – DF) para a Rota dos Baobás e os Quilombos Digitais.

A partir das 16h00, no Mercado Sul, faremos uma vivência transcultural de economia solidária, tecnologias livres e construção de redes autônomas de sustentabilidade. Um microcosmo ativo de intercâmbios entre redes de agroecologia, culturas indígenas, quilombolas e periféricas, de todo o Brasil e além, com educação social, saúde integral, comunicação para cidades e florestas e entretenimento cultural para crianças, jovens e adultos. Retornamos ao Museu Nacional às 18h00.

2) No Museu Nacional, temos o Baobafricanizando as Américas.
Memórias e histórias das comunidades dos povos e em seus territórios livres são recontadas através das próprias pessoas, compartilhadas através do Baobáxia – Galáxia de Baobás: estratégia de luta e tecnologia digital livre criada pela Rede Mocambos para publicar e compartilhar memórias digitais e fortalecer laços entre comunidades, sem depender da internet.
O Baobáxia é um sistema de programas livres de computadores inspirados na árvore que testemunha a história da humanidade, para guardar e transmitir ensinamentos, práticas e valores de povos que querem seguir plantando o que comem, produzindo o que precisam e dançando com o cosmo.

Na Rede Mocambos, a Mucua, o fruto do baobá, é o computador instalado e mantido por cada comunidade, que guarda e dá acesso a vídeos, programas de rádios, fotos e textos produzidos ou publicados na rede, que podem ser compartilhados localmente e com o mundo, sem depender da internet.

Deixe uma resposta